Como o Design Gráfico agrega valor a uma marca e a conecta às pessoas.

Sem grandes dificuldades, quando desbloqueia o seu smartphone, você consegue diferenciar qual ícone do aplicativo do Banco do Brasil e qual é o do Spotify, certo? Isso acontece por causa da identidade visual dessas duas marcas serem bem específicas e marcantes.

Quando vai na estante de livros, você sabe identificar de longe qual é O Senhor dos Anéis e qual é Harry Potter por causa das cores, do tamanho da capa, da lombada e, também, por causa da fonte utilizada. Alguém pensou bem em como tornar a aparência desses dois livros bem reconhecível e diferenciada.

Nesses dois exemplos acima há o bom trabalho de um designer por trás. Ele é aquele carinha meio doido, cheio de ideias, (normalmente, segurando uma xícara de café) que quebra a cabeça para pensar formas e métodos de como agregar valor a uma marca e ajudar a vender mais.

“E como se agrega valor a uma marca?” Você deve estar se perguntando. Então, é sobre isso este texto. Vou aqui elencar alguns métodos e estratégias.

Mais do que um rostinho bonito, alguém inteligente e que sabe o que quer: conquistar você. 

O design não deve ser apenas bonito, mas também inteligente e condizente com a imagem que se deseja passar. Além disso, deve também se conectar com o público a que se deseja atingir. 

Já imaginou um escritório de advocacia usando cores vibrantes ou uma lanchonete de bairro usando tons metálicos e sombrios? Não condiz com o que cada um vende e também não condiz com o público-alvo. Mesmo que a logo seja linda, se não tiver o estudo do mercado e do pública, será um tiro pela culatra. Podem ligar para o seu escritório perguntando se vende pão, por exemplo. Eu tenho de olhar para o seu negócio e identificar do que se trata.

Marca bonita tem aos montes: a sua tem de ser além, tem de ser o destaque da festa.

Claro que fazer uma logo bonita é essencial. Mas o trabalho de um designer não para aí. Marca pode ser definida como um nome, uma designação, um sinal, um símbolo ou uma combinação deles. Ela tem como propósito identificar bens e serviços de um vendedor ou grupo de vendedores e, assim, diferenciá-los dos concorrentes. Bonito, né? Mas isso requer muito estudo e técnica. Agregar conceito, significado e significante. Sem significado ou sentido lógico, ou mesmo que o tenha sem o cuidado apurado da imagem, a marca tende a não vingar porque dificilmente cumprirá seu objetivo de comunicar a personalidade da empresa.

No processo chamado Naming, a marca passa por uma análise usando técnicas de comunicação e marketing, visando, inclusive, o valor ergonômico do design. Processo que vai além de dar um nome, mas pensar no conceito sonoro, visual e sensorial para criar uma marca condizente.

Por exemplo, recentemente a Globo mudou de logo. A combinação de cores da versão antiga era utilizada desde 1988. De lá para cá, a emissora mudou e se expandiu muito. Inclusive, se modernizou a ponto de estar brigando no ramo dos streamings. Mudanças tão profundas assim requerem uma mudança visual condizente. O visual sempre precisa estar condizente com o modo de pensar. A Globo entendeu que é preciso estar mais próximo de seu público. Ser acessível.

“Quisemos refletir nessa identidade visual toda a proximidade com o público que a marca da TV Globo traz. Uma marca que evoluiu, para se adaptar aos tempos atuais, mas manteve o DNA da criação de Hans Donner há mais de quatro décadas. E é acessível, humana, flexível, conversa com as pessoas. Mais do que nunca, nesse novo on-air, a emoção do conteúdo se funde e dá vida a essa marca”, afirma Manuel Falcão, diretor de Marca e Comunicação da Globo.

Enfim.

Como foi falado, a marca é algo sério. É preciso pensar bem, senão pode dar com os burros n’água. Toda empresa pode e deve se preocupar com isso. Seja ela pequena ou grande.

É cada vez mais importante saber como usar o design como ferramenta para atrair o olhar e o desejo dos consumidores e aumentar as vendas. As pessoas só compram quando acreditam que aquilo irá agregar algo a elas, seja pelo valor estético, pela funcionalidade, pelo prazer que proporciona ou pela praticidade.

Não vacile não, contrate um bom trabalho de design.

Inscreva-se e receba todas as novidades da AND

Receba as atualizações e aprenda com o nosso time

Blog Content

Confira outras matérias do Blog AND.

COMPARTILHE

“Full Service”: A Nove Dois recebe Certificado de Qualificação Técnica do CENP

Todos os clientes, parceiros e o time roxo que faz a Nove Dois podem ser orgulhar! No último mês, a agência recebeu o Certificado de Qualificação Técnica do Conselho Executivo de Normas-Padrão, CENP. O documento chancela a AND como como “Full Service”, com expertise e capaz de gerenciar todas as estratégias de publicidade, marketing e comunicação dos seus clientes.

Leia mais

“Recebeu aí?”: 3 dicas para colocar em prática antes de mandar um release

Celular vibrou! Tem pauta nova chegando e pedido de release para disparo na imprensa. O assunto precisa repercutir. Vai lá, abre o Word, escreve o texto, muda algo, revisa, corrige, lê de novo – dessa vez em voz alta -, aprova e envia e-mail pra aquele mailing de lei. Pronto. Tá feito! Mas fala aí… Você acha que é só isso mesmo? Não, hein?! É o seguinte. A gente preparou 3 passos rápidos e importantes para seguir antes de enviar qualquer release. Vem com a gente!

Leia mais

Inscreva-se e receba todas as novidades da Agência Nove Dois

Receba as atualizações e aprenda com o nosso time

Increva-se em nossa lista de transmissão e fique ligado em todas as novidades.

Copyright 2022 © All rights Reserved. Developed by Agência Nove Dois